quinta-feira, 24 de junho de 2010

Divagando...

E eu que pensei que estivesse curada. Que tudo estava bem. De repente me pego aqui, pensando desesperadamente em você!
Já não sei o que fazer! Minhas mãos tremem só de pensar no seu nome. O coração bate acelerado e, ao mesmo tempo, o sinto como que sendo esmagado pela insuperável vontade de estar ao seu lado, de ouvir sua voz de novo ao meu ouvido dizendo "Fica aqui comigo. Não vá embora". Essas palavras me perseguem todos os dias...
Nada em mim parece funcionar direito. Você literalmente me desconcerta, me abala...Ao pensar em você, não cabem mais outros pensamentos em mim (e acredite, isso não acontece normalmente, quando penso em mil coisas ao mesmo tempo). Ao pensar em você, o resto do mundo some. Eu não enxergo mais ninguém, eu não ouço mais ninguém, nada mais me importa!
Mas que sentimento mais injusto é esse??? Como pode meu mundo parar dessa forma por uma pessoa que nem ao menos lembra que existo!? Até quando você será o meu ar? Até quando eu vou conseguir viver sem ter você por perto ou mesmo poder me alegrar ao te ver de longe?
Não posso acreditar que você não sinta nada! Que foi tudo ilusão minha. Não pode ser que só eu perceba aquela força que se forma entre nós quando nos aproximamos. Uma força que parece querer jogar um nos braços do outro e deixar assim pra sempre.
"Sempre". Palavra que nunca vai existir para nós dois.. Mas o que que eu estou escrevendooo?!?! Não existe "nós dois"! Nunca existiu. Nunca vai existir. =´(
Eu queria ter a coragem para ir agora te encontrar e dizer o quanto você é importante pra mim! O quanto eu amo você e preciso de você! Mas eu não posso...Não tenho coragem para isso. Não tenho coragem porque sei que não tenho forças pra aceitar uma rejeição. Não uma rejeição sua. Tenho certeza que me derrubaria e eu jamais conseguiria me levantar. Posto isso, prefiro sofrer com a ilusão de que você sente sim algo por mim, mas alguma coisa eu fiz de errado e pus tudo a perder. Prefiro acreditar nisso e sofrer por isso, a sofrer pela certeza de que não fui nada. Isso seria demais. Seria insuportável.
É isso...vou alimentar essa ilusão até onde eu puder...Vou levando minha vida assim mesmo, faltando um pedaço. mas vou levando...Um dia eu pensarei menos em você (não esquecerei, apenas pensarei menos, porque imagino ser impossível te esquecer), e quem sabe também sofrerei menos.

Um comentário: